CARACTERÍSTICAS ABSTEMIOLÓGICAS DO “SÓ POR HOJE”

Tenho certeza de que você já ouviu alguém falar a expressão “só por hoje” ou visualizou em algum texto a abreviatura “SPH”. Essa máxima é muito utilizada por abstêmios, comunidades terapêuticas, clínicas e grupos anônimos, mas, por vezes, sofre uma banalização e deixa de refletir toda sua grandeza. Nesse estudo faremos uma análise mais detalhada dessa expressão com a intenção de exibir alguns de seus aspectos que ficam ocultos ou são trivializados.

Características abstemiológicas da expressão “SÓ POR HOJE”

Exemplificando para facilitar a compreensão, é comum em reuniões abstêmias que algumas pessoas mencionem suas dificuldades cotidianas e, depois, afirmem que “só por hoje” estão em abstinência. Essa expressão indica que a pessoa não pretende usar drogas/álcool hoje, apesar de todas as dificuldades.

Sem dúvida alguma, existem certos brocardos que sintetizam um gama enorme de conhecimento e informação. Esse é o caso da refinada expressão “só por hoje”. Em alguns casos, essa máxima também pode servir de base para construções mais refinadas: “só por hoje” vou estudar, “só por hoje” vou viver, “só por hoje” vou me superar, “só por hoje” vou me espiritualizar etc.

A expressão “só por hoje” é muito utilizada no meio abstêmio e tem a função informadora de ressaltar ao abstêmio a importância do “dia de hoje”, ou seja, o momento de ficar abstêmio é o “agora”. Entretanto, existem três formas de compreender o “só por hoje”. Essa expressão possui a tríplice característica de ser, simultaneamente, PRINCÍPIO, TÉCNICA e EFEITO.

Como PRINCÍPIO, o “só por hoje” nos ensina que a violação dessa regra extinguirá, imediatamente, a abstinência. Como TÉCNICA, o “só por hoje” nos revela que podemos ficar em abstinência e suportar todas as dificuldades “apenas por hoje”. Como EFEITO, o “só por hoje” revela que se foi possível ficar abstêmio “hoje” é porque foi feito tudo que era possível para que ocorresse esse resultado, de modo que o efeito do “só por hoje” é mais um dia abstêmio.

Vejamos outras características dessa locução:

1. Saudação: é comumente banalizada como sendo uma saudação em diálogos informais.

2. Centrada no presente: centra-se no presente, mas não sugere que seja esquecido o passado ou não preparado o terreno do futuro.

3. Força bruta: é uma técnica de força bruta porque sintetiza alguém que “deseja” usar drogas/álcool, mas não vai sucumbir ao desejo por vontade própria. Talvez fosse recomendável, em alguns casos, a aplicação simultânea de outras técnicas, tais como: terapia individual ou farmacoterapia. A aplicação dessa técnica como sendo força bruta sinaliza que, ainda, não houve uma recaída, mas “bateu na trave”.

4. Representa um trinômio abstêmio.

5. Dentro da TEORIA DO PÊNDULO ABSTÊMIO representa um momento muito perto da drogadição e extremamente perigoso já que a pessoa está na iminência do uso, mas não perece a isso por muito pouco.

Apesar das suas características positivas, não podemos deixar de lado o VIÉS NEGATIVO previsto nessa máxima. De fato, como foi apontado por SCHRÖDER[1] existem diversos problemas que podem ser sinalizados pelo discurso do “só por hoje” posto que oculta uma “ação individualista e egocêntrica” que disfarça um “sentimento de autopiedade”. Ademais disso, essa expressão pode ser utilizada para justificar condutas antagônicas ao próprio processo abstêmio, por exemplo, “só por hoje vou beber”, “só por hoje vou usar drogas” ou “só por hoje não vou fazer terapia”.

CURIOSIDADE

Concordo, humildemente, com SCHRÖDER no sentido que a origem da expressão “só por hoje” remonta aos alcoólicos anônimos e deriva da máxima “um dia de cada vez”[2].

CONCLUSÕES

De fato, a expressão “só por hoje” é um verdadeiro medicamento cognitivo que pode — e deve — ser utilizado pelo abstêmio indiscriminadamente, mas, como tudo na vida, pode apresentar certos impropérios.

Bons estudos!

Escritor: Péricles Ziemmermann

___________

REFERÊNCIAS

[1] SCHRÖDER, Luciane Thomé. “SÓ POR HOJE”. SIGNUM: Est. Ling., Londrina, v. 12, n. 2, p. 247-261, dez. 2009. Informação disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/download/4930/4624>. Acesso em 18 abril 2023.

[2] SCHRÖDER, Luciane Thomé. “SÓ POR HOJE”. SIGNUM: Est. Ling., Londrina, v. 12, n. 2, p. 253, dez. 2009. Informação disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/download/4930/4624>. Acesso em 18 abril 2023.

Sugerimos, humildemente, a leitura do texto: TODOS ABSTÊMIOS SÃO IGUAIS?

ZIEMMERMANN, Péricles. PRINCÍPIOS ABSTEMIOLÓGICOS. Porto Alegre/RS: Editora Simplíssimo, 2018. ISBN 978-85-824565-3-8

ZIEMMERMANN, Péricles. TEORIAS ABSTEMIOLÓGICAS. Porto Alegre/RS: Editora Simplíssimo, 2019. ISBN 978-85-824566-2-0

ZIEMMERMANN, Péricles. ITINERÁRIOS ABSTEMIOLÓGICOS. Porto Alegre/RS: Editora Simplíssimo, 2020. ISBN 978-85-924432-3-8

ZIEMMERMANN, Péricles. ABSTEMIOPATIAS. Porto Alegre/RS: Editora Simplíssimo, 2021. ISBN 978-85-824583-6-5

Para saber mais: EBOOKS GRATUITOS

publicado
Categorizado como NOVIDADES

Por Pericles Ziemmermann

Autor dos livros "PRINCÍPIOS ABSTEMIOLÓGICOS", "TEORIAS ABSTEMIOLÓGICAS", "ITINERÁRIOS ABSTEMIOLÓGICOS" e "ABSTEMIOPATIAS". Advogado e especialista em diversas áreas. Pesquisador de temas abstemiológicos. Criador do maior site do Brasil sobre estudos da Vida Abstêmia: Abstemiologia.